segunda-feira, maio 24, 2010

O TEMPO ME COBRA O TEMPO INTEIRO

O tempo urge

e ruge
a minha porta
o seu grito
esbaforido:

-Deita
e fica morta

sem ansiedade
ou culpa

que prometo
a eternidade
como desculpa

pra poemar
seus versos

em rimas

despejar seu coração
ranzinza

sentada

numa nuvem de algodão

(Elza Fraga)

7 comentários:

Lara Amaral disse...

O que vc tem de tempo (di)verso é preciosíssimo!

Beijo, moça!

ONG ALERTA disse...

Tempo é apenas um momento, paz.
Beijo Lisette.

Elza Fraga disse...

Oi, Lara, tempo é o que mais nos escorre nos dedos.
Quando a gente vê o momento já é o seguinte.
E isso nos dá uma sensação de impotência danada, rsrs
Bitokitas, moça contista e poeta.

Elza Fraga disse...

Lisette, tudo bem com você?
Tempo é um troço estranho, a gente conta no calendário, no relógio,
mas não no coração!
Bitokitas, querida.
Luz e paz pra você.

Zélia Guardiano disse...

Elza querida
Esse tal de tempo, não o compreendo, por mais que tente... Se o momento é de alegria,ele não esquenta a cadeira: parte veloz. Se é momento de dor, ele senta e fica.

Elza Fraga disse...

Verdade das verdadeiras, Zélia, rs.
O tempo só para na dor, no amor ele corre célere, até alcançar o folêgo suficiente pra voar.
É um cara descompensado este tal de senhor tempo.
Deve ser um mal amado, rsrs.
Bitokitas de luz procê.

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

Meditei sobre estes versos...

beijos querida!
Ótimo findi.